RSS

Arquivo da categoria: Aniversário

Comemoramos: aniversário de Bill Watterson

Hoje é o aniversário do criador de um dos mais emblemáticos e adorados quadrinhos contemporâneos. Bill Watterson passou cerca de quatro anos desenhando anúncios de publicidade, antes de criar a dupla Calvin e Haroldo, em 1985, pelo que ficou mundialmente conhecido..

Calvin é um garoto de seis anos, que apesar da enorme imaginação e da criatividade e energia características da infância, acaba por reproduzir em seus diálogos uma mentalidade bastante adulta.  Seu companheiro, Haroldo, é um tigre de pelúcia que ganha vida na imaginação do menino.

Apesar da tônica dos quadrinhos da dupla ser o humor, às aventuras da dupla se mesclam pequenas doses de ceticismo e melancolia.

Por essa criação, no mínimo, só podemos desejar vida longa e próspera a Bill!

Fonte: Wikipédia

 
Deixe um comentário

Publicado por em 5 de julho de 2012 em Aniversário, Comemore, Cultura

 

Comemore a poesia de Fernando Pessoa

Há 123 anos atrás, no dia 13 de junho, nascia em Lisboa, Portugal, um dos principais poetas da língua portuguesa, Fernando Pessoa.

Fernando Pessoa foi criado em Durban, na África do Sul, onde viveu dos 6 anos até os 17. Por lá, aprendeu a língua inglesa, a partir da qual traduziria poemas para o português e criaria grande parte de sua produção artística (segundo a Wikipedia, três de suas quatro obras reconhecidas – 35 Sonnets e English Poems I e II – contra apenas um livro publicado em português – Mensagem – este no ano anterior ao de sua morte).*

Fernando Pessoa faleceu em Lisboa, sua cidade natal, em 30 de novembro de 1935, aos 47 anos, de cirrose hepática. O Google publicou um doodle nesta data de seu aniversário, em sua homenagem:


Fernando pessoa utilizou-se de vários pseudônimos para escrever sua obra: Alberto Caeiro, Álvaro Campos e Ricardo Reis foram os mais usados em suas obras poéticas. Os pseudônimos de Fernando Pessoa são considerados heterônimos, ou seja, uma espécie de “pseudônimo-personagem” com opinião e personalidade própria.

Fernando Pessoa morreu no dia 30 de novembro de 1935, após uma cirrose hepática.**

Novas Poesias Inéditas – Alberto Caeiro

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : “Fui eu ?”
Deus sabe, porque o escreveu.

* Fonte: Sobre isso

** Fonte: Revista Escola

Para saber mais sobre Fernando Pessoa: Sua Pesquisa

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de junho de 2011 em Aniversário, Comemore

 

Tags: ,

 
%d blogueiros gostam disto: