RSS

Arquivo da tag: Filme

RIP Savassi Cineclube

Houve um tempo em que ir ao cinema tinha um pouco mais de charme, além da diversidade no cardápio: aquela lojinha simpática, a pequena livraria, o café para esperar o amigo ou pra debater o filme após a sessão, o show intimista, o lançamento de um livro, o espaço para uma pequena exposição.

Houve um tempo em que isso acontecia em pelo menos três locaisem Belo Horizonte: no Funcionários, com o Cine Belas Artes, no Santo Agostinho, com o Usiminas e na Savassi, com o Savassi Cineclube.

É inegável a força e a resistência necessárias para que esses espaços se mantivessem. Mais ainda agora, com o fim cada vez mais efetivo dos cinemas de rua e o aparecimento cada vez maior das salas de cinemaem shoppings. Paraviver, houve que se abrir ao patrocínio de grandes empresas. E ainda bem que eles existiram.

Esses espaços sempre agregaram mais que filmes. E que filmes. Filmes alternativos, mostras de autores, obras pouco conhecidas vindas de todas as partes do mundo. Só esse fato já justificaria a existência deles. Porque eles realmente são espaço aberto pra verdadeira diversidade. Mas mais, esses espaços são espaços de verdadeira convivência, uma tentativa legítima de fruir cultura, beleza e arte.

O menor, mas não menos importante, desses espaços deixou de existir essa semana, definitivamente e infelizmente, sem justificativa. O Savassi Cineclube fechou suas portas. Com ele, morre, muda e amargamente mais uma tentativa de diversidade na cultura. Vencem o blockbuster e as salas de cinema nos shoppings, com seu público que cada dia mais, assiste filmes de forma mecânica e consumista, como adquire qualquer outra coisa. Sem imersão, sem silêncio, sem respeito, sem intervalo.

Mais um imóvel para a especulação imobiliária (mais um shopping?), menos uma alternativa para aqueles filmes que, se antes eram difíceis de serem vistos, agora serão mais facilmente cortados do circuito belo-horizontino.

Imagem

Um espaço tão antigo que tinha até um espaço para fumantes, no fundo, separado por uma parede de vidro.

Vai deixar saudades, Savassi Cineclube. E muita tristeza.

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 6 de janeiro de 2012 em Cinema, Cultura

 

Tags: , , ,

Cinema comentado em BH

Um bom filme suscita as mais diversas emoções. E alguns têm, sob o mero desenrolar de uma história, várias outras histórias, que podem gerar profundas reflexões.

Nem sempre, quando vemos um filme, conseguimos captar todo o emaranhado de temas que ele pode suscitar. Às vezes, um bom papo pode ajudar a revelar as diversas camadas que ele pode ter.

Uma boa opção nesse sentido é o que vai acontecer, no próximo dia 30 de março, no Cinecittà (Rua Aimorés, 582, Bairro Funcionários).

O filme a ser exibido é o clássico Bagdad Café, do alemão Percy Adlon. Logo após, haverá uma troca de idéias e impressões que contará com a participação da Filósofa Maria de Lourdes Gouveia.

Em meio à aspereza do deserto, novas e delicadas relações se constroem.

O evento ainda incluirá um coffee break logo após a exibição do filme, com nossa linha de delicatessen.

DECIFRANDO BAGDAD CAFÉ
Data: 30/04

Hora: 18h
Valor Individual: R$ 40,00

Inscrições através do e-mail contato@cinecitta.com.br – vagas limitadas
Maiores informações via tel. 2516-2967 ou 9829-8738 (Tatiana) ou no Facebook.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 26 de abril de 2011 em Cinema

 

Tags: ,

Sessão da madrugada no cinema

Que tal começar a noite de sábado no cinema? E não, não estamos falando da sessão das 21h.

É que agora , todo sábado, o Usiminas Belas Artes promove o “Sessão da Madrugada” , que acontece após a última sessão tradicional nas salas 1 e 2.

Serão exibidos títulos inéditos, curtas, vídeos, documentários e também ótimas retrospectivas de cineastas importantes. Tudo com ENTRADA GRATUITA.

Programação do dia 26 de março

Suspense (Bob Tostes)

SALA 1 às 23:50 – Curta-metragem
Suspense (The short night)

Brasil, 2010, curta-metragem 10 min, livre. Direção: Bob Tostes e Marcelo Gaz.

Enredo: Policial se apaixona por mulher suspeita. O cineasta Alfred Hitchcock é homenageado neste projeto ousado de música-filme, ou cinema sem imagem: numa narrativa musical, o público é estimulado a criar suas próprias imagens mentalmente.

SALA 1 às 00:00 – Longa/ Retrospectiva
Repulsa ao Sexo (Repulsion)

Inglaterra, 1965, 105 min, 16 anos. Direção: Roman Polanski. Com: Catherine Deneuve, Ian Hendry, John Fraser, Yvonne Furneaux.

Repulsa ao sexo (Roman Polanski)

Enredo: Carol Ledoux é uma bela mulher, tímida e sexualmente reprimida, que trabalha como manicure em um salão de beleza em Londres. Ela é constantemente assediada por um homem extremamente apaixonado. Quando sua irmã, com a qual mantém uma relação de dependência muito forte, viaja com o namorado em férias, acaba por ficar sozinha no apartamento que dividem. Perturbada e cada vez mais alucinada, Carol revela um lado obscuro de seu comportamento, movida pelo sofrimento e por sua repulsão à sexualidade.

SALA 2 às 23:50 – Exibição digital
Fluidos (Fluidos)
Brasil, 2010, 71 min, 16 anos. Direção: Alexandre Carvalho. Com: Francine Souza, Gus Stevaux, Mário Ilha, Silvia Pecegueiro, Tânia Granussi e Tatiana Eivazian.

Fluidos (Alexandre Carvalho)

Enredo: Fluidos mostra o cotidiano de três relacionamentos. No primeiro relacionamento, um casal gosta de registrar suas experiências sexuais em locais públicos com um celular. Na segunda história, uma mulher que encontra o marido apenas pela internet, começa uma relação de amizade com sua professora de escultura em argila.  Por fim, um jovem expõe sua vida num programa de televisão sensacionalista. A filmagem foi realizada em uma única noite, sem interrupções, durante a Virada Cultural de 2010, enquanto a platéia assistia simultaneamente a ação acontecendo na tela.

Fonte: Guia BH

 
Deixe um comentário

Publicado por em 24 de março de 2011 em Cinema, Comemore, Dicas

 

Tags: , ,

Mostra “Inéditos em BH”, no Cine Humberto Mauro

Desde 21 de fevereiro até o dia 20 de março, o Cine Humberto Mauro no Palácio das Artes está exibindo a Mostra Inéditos em BH, com filmes importantes que não chegaram a ser exibidos.

O Cine Humberto Mauro é hoje um dos poucos (senão o único) , cinemas em Belo Horizonte, com esforço genuíno no sentido de trazer ao público produções desenvolvidas fora do mainstream, mas que constituem obras de importantes nomes da Sétima arte. E isso torna a acontecer com a Mostra Inéditos em BH.

Obras da Mostra

"Filme Socialismo" de Jean-Luc Godard

Entre os títulos está Filme Socialismo, de Jean-Luc Godard, que, dentre outras coisas, interroga o estado atual do capitalismo por meio de suas imagens e mitos. Da crise econômica e política dos países do Mediterrâneo às imagens amadoras contemporâneas, nada permanece incólume. Como em geral acontece com a obra do diretor, o mundo parece fazer questão de tornar o filme ainda mais atual.

Do veterano Marco BellochioVincere volta ao passado para discutir a ascensão do Fascismo na Itália.

"Vincere" de Marco Bellochio

No filme, a postura mitológica do carismático e midiático líder do país é contraposta à revolta de sua ex-amante, reprimida a qualquer custo pelo regime.

Em O Que Resta do Tempo o diretor palestino Elia Suleiman fecha uma trilogia autobiográfica sobre o cotidiano de um povo sem território. Por meio do burlesco, Suleiman filma a dissolução da comunidade como resultado da intransigência da grande política.

"O Que Resta do Tempo" do diretor palestino Elia Suleiman

Já Os Inquilinos, do sempre polêmico Sérgio Bianchi, trata do ressentimento da classe média e da ameaça imaginária das periferias brasileiras.

Em Minha Terra, África (White Material) a diretora francesa Claire Denis aborda a questão colonial e racial no continente africano.  A política de trocas e valores envolvidos no tema é trabalhada no filme em razão do conflito de olhares que o constituem.

"A erva do rato" de Julio Bressane


A Erva do Rato
, de Júlio Bressane, retoma dois contos de Machado de Assis assim como diversas referências mitológicas e pictóricas para tratar da angústia do homem frente a sexualidade feminina.

Por fim, Ervas Daninhas, do mestre Alain Resnais. Já exibido em Belo Horizonte em uma versão digital, com condições técnicas alteradas – que suscitaram até um abaixo assinado virtual – o filme poderá, enfim, ser visto no formato em que foi originalmente concebido.

(Fonte: Palácio das Artes)

———————————————————————-

Evento: Inéditos BH
Data: 21 de fevereiro a 20 de março
Local: Cine Humberto Mauro
Valor: R$ 5,00 (inteira), R$ 2,50 (meia-entrada)
Classificação etária: 14 e 16 anos
Informações: (31) 3236-7400
Horários, sinopses e classificação: visite a seção da Mostra, no site do Palácio das Artes.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 11 de março de 2011 em Dicas

 

Tags: , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: